13 junho 2018

António Chainho reiterou mestria, em concerto no CCR

Quando se fala de guitarra portuguesa António Chainho é frequentemente mencionado como “O Mestre” e foi essa distinção que veio honrar ao Centro Cultural de Redondo (CCR).

Quando se fala de guitarra portuguesa António Chainho é frequentemente mencionado como “O Mestre” e foi essa distinção que veio honrar ao Centro Cultural de Redondo (CCR) onde se apresentou em concerto, no dia 10 de junho, por ocasião do 12º aniversário deste equipamento ao serviço da cultura.

Apresentando-se em palco com a simplicidade que muitas vezes só ocorre aos que são verdadeiramente “grandes” António Chainho fez-se acompanhar de músicos de primeira linha: Ciro Bertini no baixo acústico, Tiago Oliveira na guitarra acústica e o saxofonista convidado Kajó.

Abrindo o alinhamento com um já consagrado “Sonhar Lisboa” o mestre Chainho revisitou assim um dos seus primeiros álbuns preparando-nos para uma viagem por aqueles que são alguns dos maiores sucessos da sua carreira, assentes num jogo de luzes merecedor de atenção.  

Rapsódia Fadista, Sentir em Português, Deambulando e Simplicidade são apenas alguns dos nomes enormes que puseram em evidência o virtuosismo desde homem que é da guitarra portuguesa e para a guitarra portuguesa. Há quem tenha o génio, há quem tenha o fruto do trabalho, Chainho tem ambos e isso é de Mestre.


Consulte as fotos aqui