19 julho 2016

Bonecos e Campaniça nas Piscinas Municipais de Redondo

A campaniça do António Bexiga, abriu em acordes do médio-oriente, próprios das mil e uma noites e a dança do ventre transportou-nos a outras latitudes, só mesmo a esparsos momentos se olhava para o Manuel Dias...

Redondo dia 16 de julho pelas 22h00, a noite estava quente e boa, o ambiente informal convidou muitos dos presentes a disfrutarem de forma descontraída da relva que contrastava em fresquidão com o bafo temperado que ainda se respirava aquela hora.

A campaniça do António Bexiga, abriu em acordes do médio-oriente, próprios das mil e uma noites e a dança do ventre transportou-nos a outras latitudes, só mesmo a esparsos momentos se olhava para o Manuel Dias que dançava entre fios na performance que criara para a sua Ghazeya, de quem não conseguíamos tirar os olhos entre movimentos pélvicos e ondulações abdominais.

A noite continuava temperada e o Manuel Dias ainda soprou vida a mais dez personagens, que fizeram o favor de nos transportar a outros imaginários e que se encontraram com o som da Campaniça de António Bexiga, naquele que foi o apoio perfeito às várias performances de grande nível a que o público assistia.

Do curioso Gato branco ao surpreendente Vladimir, Manuel Dias manipulou as debilidades das suas personagens em criações de vida e verdadeira magia, não fora ele considerado por muitos como um dos melhores marionetistas do mundo.

Da campaniça e do Tó-Zé pouco adianta escrever, o importante mesmo é permitir-se escutar aquelas magníficas sonoridades, que estranhamente ele consegue arrancar de tão simples instrumento.

​Consulte as fotos aqui