11 fevereiro 2019

Primeiro-Ministro aceita o repto do Presidente da Câmara Municipal de Redondo que espera que “os Alentejanos não fiquem a ver os comboios passar”

​Hoje, 11 de fevereiro, o Concelho de Redondo recebeu a visita do Sr. Primeiro-Ministro António Costa para presidir a cerimónia de adjudicação da empreitada de construção do Troço Évora Norte – Freixo.

​Hoje, 11 de fevereiro, o Concelho de Redondo recebeu a visita do Sr. Primeiro-Ministro António Costa para presidir a cerimónia de adjudicação da empreitada de construção do Troço Évora Norte – Freixo, o primeiro de três que irão completar o corredor ferroviário Évora Norte-Badajoz. O Ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, o Secretário de Estado Guilherme d’ Oliveira Martins, o Deputado Norberto Patinho, os representantes da Infraestruturas de Portugal, o Presidente da Câmara Municipal de Redondo, António Recto, e diversos autarcas do distrito estiveram igualmente presentes na sala da Assembleia Municipal onde decorreu a celebração.

Na sua intervenção, o Presidente da Câmara Municipal de Redondo, António Recto manifestou legítimas preocupações sobre o impacto que a passagem do troço terá sobre a economia local, prejudicando a exploração vitivinícola de um concelho economicamente enraizado no sector primário, mais concretamente entre os quilómetros 150 e 155, que afetará sobretudo zonas de vinha.

“Os Alentejanos não podem ficar a ver os comboios passar” foi o repto que o autarca de Redondo lançou, numa nota humorística, aos governantes esperando que a população possa beneficiar das indemnizações monetárias e que retirem benefícios transversais desta obra que atravessa os seus concelhos.  

"Nós pretendemos que o perímetro de rega seja ampliado para montante e que nos permita regar mais 2300 hectares, estou a falar em regar vinhas. É uma forma de compensar os agricultores”, sublinhou.

Falando em nome do Alentejo, relembrou igualmente a importância de construção de um cais para cargas e descargas ao quilómetro 163, no Concelho do Alandroal o que permitiria alavancar sobretudo a indústria do mármore mas também do azeite e dos vinhos que tanto prestigiam a região.

O Primeiro-Ministro garantiu contudo, na sua intervenção, que o novo troço será uma oportunidade de crescimento para as empresas sediadas no Alentejo. O Ministro Pedro Marques assumiu ser intenção do governo que este projeto que é de todos os portugueses seja também competitivo para a região.

A construção do novo troço ferroviário Évora Norte/ Freixo conta com um investimento de 46,6 milhões de euros e tem um prazo de execução de 540 dias sendo que o contrato hoje assinado na vila de Redondo conta com financiamento a 40% por parte dos fundos comunitários. O Corredor Ferroviário Internacional Sul Sines-Caia está inscrito no Programa Ferrovia 2020.


Consulte as fotos aqui