Serra D'Ossa

Serra D'Ossa

​Entre os concelhos de Estremoz, Borba, Vila Viçosa, Alandroal e Redondo, ergue-se majestosamente na paisagem alentejana a Serra d'Ossa.
Apesar de uma grande área do coberto vegetal da Serra estar dominado pelo eucalipto, os montados de sobro e azinho e os extensos estevais constituem por excelência os habitats seminaturais resultantes da intervenção humana na paisagem ao longo dos tempos.
A flora da Serra D'Ossa oferece muitas características do elenco florístico das regiões mediterrâneas. A vegetação é constituída por espécies de folha pequena, dura e muitas vezes espinhosa, como rotecção às elevadas temperaturas e, sobretudo, à falta de água. Dominam as árvores de folha ​persistente, como o sobreiro (Quercus suber), a azinheira (Q. rotundifolia), o zambujeiro (Olea europaea ssp. Sylvestri), o pinheiro-bravo (Pinus pinaster) e pinheiro-manso (Pinus pinea), não esquecendo a enorme mancha de eucaliptocomum (Eucalyptus globulus). No estrato arbustivo o elenco é composto por medronheiro (Arbustus unedo), urze (Erica australis), rosmaninho (Lavandula lusitanica) e alecrim (Rosmarinus officinalis), entre muitas outras espécies aromáticas.
Do ponto de vista florístico, destaquese ainda a presença de plantas de elevado interesse patrimonial, como é o caso de codeço (Adenocarpus telonensis), do tojo (Ulex eriocladus) e do orvalho do sol, planta insectívora (Drosera lusitanica). Existe nesta serra uma grande diversidade de seres vivos, alguns raros e de grande interesse de conservação, destacando-se em termos avifaunísticos a águia-calçada, bem como a ocorrência de peneireiro-cinzento e do mocho-de-orelhas, espécie pouco comum e mal conhecida em Portugal. De entre os corvídeos destaque para o corvo (Corvus corax) e para o gaio (Garrulus glandarius), muito frequentes na serra. A serra abriga ainda espécies tão importantes para a conservação como a águia de Bonelli (Hieraaetus fasciatus), o bufo real (Bubo bubo), algumas espécies de morcegos e a víbora cornuda (Vipera latasti). Na proximidade de linhas de água é frequente encontrar alguns anfíbios como a salamandra (Salamandra salamandra), o sapo-parteiro-ibérico (Alytes cisternasii), a rela (Hyla arborea), entre outros. Em termos de espécies cinegéticas, destaque para a caça maior, com presença do javali (Susscrofa).

Consulte aqui as fotos.